Eventos

<<  Dezembro 2017  >>
 S  T  Q  Q  S  S  D 
      1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Terça - 12 de Dezembro de 2017
Pinga-Fogo
Pinga-Fogo
Escrito por Administrator   
Sex, 13 de Julho de 2012 14:20

 
PATÉTICO 
A convenção política do PSB foi o retrato patético do desfecho da atual administração Marcos Buzetto. Presentes na Câmara na manhã do último sábado esteve o núcleo duro do governo Marquinho. Um núcleo que hoje considerado, para muita gente, o mais contestado da política rio-pedrense. E não foram capazes de lotar nem metade das cadeiras da Câmara de Vereadores.
 
 
 
PATÉTICO 2
Um grupo que recebeu a dádiva de ver a arrecadação da cidade quadruplicar, passando de R$ 20 milhões para R$ 80 milhões e que fez muito mal uso desse dinheiro público. A maior parte desse incremento da receita ocorreu por sorte e serviu primeiramente para maquiar a cidade com praças, rotatórias, recapeamentos, áreas de lazer, campos de futebol e parquinhos. Tudo isso posteriormente se deteriorou no segundo mandato. A cidade ficou largada e tudo foi abandonado.  

PATÉTICO 3
Boa parte do dinheiro da agora rica Rio das Pedras passou a ser usado para arrebanhar opositores. É como disse um amigo sabiamente dia desses: “Quer fazer politica faça, mas faça com o dinheiro seu, não com o do povo”. Uma lástima. Rio das Pedras virou estudo de caso de como administrar mal uma cidade.
 
PATÉTICO 4 
E o reflexo disso se viu na convenção do partido do prefeito. Um grupo que foi incapaz de fazer vingar um candidato a prefeito entre os seus. E que, assim sendo, recorreu a Carlos Defavari, que participou de todo o governo Marquinho e que há duas décadas vem participando dos mais diferentes governos de Rio das Pedras.

PATÉTICO 5 
Mas Carlos Defavari não fazia parte do núcleo duro de Marquinho, este ao qual me refiro como o mais contestado da política rio-pedrense. O grupo de lá o convidou porque parece não ter força para fazer um candidato próprio, como tiveram o Lula e deverá ter o Barjas Negri em Piracicaba. E o Carlos Defavari porque se encantou pelo canto da ‘sereia’?
 
PATÉTICO 6
Mas o fato é que a convenção do PSB teve o retrato patético do que foi o governo Marquinho. Se não conseguiram ter o sucessor, a coisa piorou já que nem vice havia. Foi um corre-corre para definir o nome. Carlos Defavari não queria nenhum. Achava que o Daniel do Cartório, segundo as informações que temos, não acrescentava politicamente. 
 
RACHA
De última hora e no dia da convenção, surgiu o nome de Elizeu Góis (PSB), homem de maior confiança junto ao núcleo duro de Marquinho. E o mais importante: homem da confiança do pastor José Pedro de Alcântara, líder espiritual e um dos mais influentes conselheiros de Marquinho. Carlos Defavari arrepiou os cabelos com a sugestão do nome de Elizeu e teria dito “não” ao pedido de José Pedro. 
 
 
 
RACHA 2
Como isso, deixou Elizeu muito descontente, a pontos de ele ter discutido com Marquinho e ter desabafado em público: “puxaram a minha perna mais uma vez”. Boa parte do grupo de Marquinho ficou bastante desgostosa com o fato de Elizeu, em quem eles tinham mais confiança, ter sido preterido. 
 
RACHA 3
Sem Elizeu, Carlos Defavari optou por uma chapa sem evangélicos e, comenta-se que magoou o pastor Zé Pedro. É possível que tudo dê certo e que esse time vença as eleições, mas que a convenção do PSB, na qual nem se cogitou lançar um candidato a prefeito e que nem o vice sugerido pelo prefeito atual estava sendo aceito, deixou um clima bem ruim no ar, isso deixou. 
  
DE BRAÇADA
Por outro lado, a turma que acompanha o médico Dr. Júlio anda comemorando o resultado de recentes pesquisas que dariam larga vantagem nas intenções de votos ao médico. Segundo essas pesquisas, Kiko Merloto já estaria encostando em Carlos Defavari.

DE BRAÇADA 2
Mas diante desse cenário de indefinições, indecisões e incertezas, pelo lado da máquina não precisa nem olhar pesquisas para saber que a situação pelos lados governistas parece não ser nada boa. 

PALAVRA
E a junção de Carlos Defavari com Daniel do Cartório, que representa o continuísmo da gestão Marquinho, o deixa em uma tremenda saia justa. Carlos fica sem discurso. Para uns pode falar que vai limpar a prefeitura e tentar agradar aos que querem ouvir isso. 
 
PALAVRA 2
Para outros, desagrega e causa desconfiança em quem está do lado dele. “Como ele quer nosso apoio se vai mandar todo mundo embora?”. E o discurso fica ruim até mesmo para quem acha correto as demissões. Como fica o caráter de um homem que aceita o apoio de um pessoal para depois ferrá-los? 
 
ENXUTO
Pelos lados do Dr. Júlio, a coisa ficou bem mais fácil. Além de já ser um candidato popular, ele ficou com um grupo enxuto e pode fazer as pessoas crerem que ele vai fazer a mudança. Para as secretarias estratégicas como as de Saúde e Educação, por exemplo, tem deixado claro em todas as reuniões que não quer políticos. Seus secretários para essas áreas serão técnicos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Copyright © 2009 - 2017 - O RIO-PEDRENSE. Site desenvolvido por CM+P
Rua Massud Coury, 864, Bom Jesus, Rio das Pedras-SP - CEP: 13390-000 - Tel: (19) 3493-2156