Eventos

<<  Dezembro 2017  >>
 S  T  Q  Q  S  S  D 
      1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Segunda - 11 de Dezembro de 2017
Pinga-Fogo
Pinga-Fogo
Escrito por Administrator   
Qui, 06 de Setembro de 2012 14:10
 
 
  
AÍ VEM O DESESPERO
O prefeito Marquinho fez duas reuniões em caráter emergencial na última segunda-feira. O motivo: mobilizar os comissionados e os estagiários a entrar na campanha para eleger Carlos Defavari. Para os opositores, soou como um claro sinal de desespero. 
 
AÍ VEM O DESESPERO 2 
Uma das reuniões foi com os estagiários e a outra com os comissionados. Teria dito Marquinho, em tom de ameaça, nos dois encontros: “Meu compromisso com vocês iria até o dia 31 de dezembro, mas se perdermos a eleição vai até o dia 8 de outubro”. 
 
AÍ VEM O DESESPERO 3 
O ultimato pegou mal entre os funcionários. Alguns saíram revoltados da reunião, que teria tido mais um ultimato: Colar o selo do Carlos Defavari nos vidros dos carros. 
 
AÍ VEM O DESESPERO 4 
Ah quem diga até que os números dos títulos de eleitores dos funcionários foram anotados sob a ameaça de que, com eles em mãos, seria possível saber em quem cada um dos eleitores votou. É bom deixar claro aos eleitores que o voto é secreto e não é possível identificar quem votou em quem.  
 
AÍ VEM O DESESPERO 5
Quando as campanhas eleitorais foram lançadas há dois meses e o prefeito discursou em tom ameaçador, intimando todos os funcionários a colarem selos nos carros, o jornal O RIO-PEDRENSE deixou uma questão no editorial: “Será que o Marquinho vai conseguir manter a imagem de bonzinho? Por que é fácil ser bonzinho e não atacar quando se está na frente, o que parece não ser o caso desta vez”.  

AÍ VEM O DESESPERO 6
Bem, passaram-se dois meses, falta um mês para as eleições e, pelo visto, o desespero só fez crescer pelos lados governistas. E a imagem de bondoso de Marquinho, bom, essa está cada vez mais aranhada. Sinal de que o principal rival, que ao que tudo indica e pelo que se ouve é o Dr. Júlio, continua com larga vantagem nas intenções de voto. 

AÍ VEM O DESESPERO 7 
Quem presenciou a reunião, alega que Carlos Defavari pegou o microfone para discursar e foi interrompido nas primeiras palavras. Teria dito Carlos Defavari: “Marquinho, se você tivesse entrado antes na campanha, a gente não estaria na situação ruim em que está nas pesquisas”. Ao perceber a gafe que Defavari havia cometido ao admitir abertamente a desvantagem nas pesquisas, alguém de bom senso teria tirado o microfone das mãos dele. 

CONTRADIÇÃO
Esta seção PINGA-FOGO publicou recentemente que Carlos Defavari foi questionado em sua página do facebook sobre o fato de Rio das Pedras ter 23 secretaria, 10 a mais que Piracicaba, e que ele se esquivou da pergunta. “Foi uma falha administrativa, mas agora vamos falar da saúde”, foi a resposta na época. Ou seja, nada esclarecedora. 
 
CONTRADIÇÃO 2 
Como o jornal publicou a situação embaraçosa aqui no PINGA-FOGO, Carlos postou um novo posicionamento sobre o caso. Foi ao dicionário procurar o que significado a palavra generalizar, rezou um terço e, por fim, continuou sem responder o que a leitora queria saber. Ou seja, não afirmou se pretende ou não cortar as secretarias. 
 
CONTRADIÇÃO 3
Em meio ao texto, uma frase deve fazer doer o ouvido daqueles que o apoiam. Diz Carlos Defavari em meio ao longo prólogo: “Apoio não significa compromisso”. Então quer dizer que não existe compromisso com esse monte de gente que está vestindo a camisa dele, com esse monte de comissionados, estagiários e secretários que foram chamados na chincha pelo prefeito  para apoiá-lo? A troco do que este apoio então? 
 
CONTRADIÇÃO 4 
Em outro ponto do texto Carlos diz que se fosse administrar seu negócio com a mesma visão da atual administração, no mercado dele haveria mais diretores que
funcionários. Neste ponto, em primeiro lugar admite que a administração que o apoia está completamente equivocada.
 
CONTRADIÇÃO 5
Em segundo se esquece de um detalhe importante: quando se fala em secretaria, não se fala só em secretário (no que ele faz uma comparação com diretores). Cada secretaria tem mais 7 cargos em comissão.  Ou seja, cortar uma secretaria significa eliminar oito cargos em comissão e fazer uma bela economia aos cofres públicos. 
 
CONTRADIÇÃO 6
Por tudo isso que foi escrito até agora é que a postura do atual candidato apoiado pelo prefeito Marquinho soa contraditória. Por um lado diz que o prefeito deveria entrar mais na campanha. Por outro lado diz que “apoio não é compromisso”. Dizem os mais velhos que, em política, aquele que fica com o pé em duas canoas inevitavelmente cai no meio delas. 

DIRETO
Neste ponto, o das secretarias e cabide de empregos, Dr. Júlio é taxativo e vai direto ao assunto: “Vou cortar o número de secretarias pela metade”, garante o médico. “E nas secretarias de Saúde e Educação colocarei um profissional da área que não seja político”. 

ATAQUES
Chovem ataques nas redes sociais, sobretudo no facebook.  O principal alvo é candidato Dr. Júlio e seu vice Carlão da Saúde. A maioria dos ataques são ‘notícias velhas’ requentadas. Mais um sinal de que o médico é a manga madura, no alto do pé. Aquela que todos atiram pedras para ver se a derrubam. Pelo visto a mira está ruim. 

 

 
Copyright © 2009 - 2017 - O RIO-PEDRENSE. Site desenvolvido por CM+P
Rua Massud Coury, 864, Bom Jesus, Rio das Pedras-SP - CEP: 13390-000 - Tel: (19) 3493-2156